Imprimir  Voltar  Home 


  Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN


Data: 16/07/2016

Diretoria do ANDES-SN repudia deportação do professor da UFRJ Adlène Hicheur

A diretoria do ANDES-SN divulgou, neste sábado (16), nota em repúdio à deportação do professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Adlène Hicheur. O docente visitante, professor do departamento de Física, foi deportado para a França sumariamente na noite desta sexta-feira (15). De acordo com a nota, a extradição foi comunicada na manhã de sexta à reitoria da UFRJ e o Sindicato Nacional vem desde então acompanhando o caso. 

“O ANDES-SN, através de medidas jurídicas e políticas, seguirá empenhando ações para garantir o retorno ao Brasil do professor Adlène Hicheur em segurança. Não podemos naturalizar esta violência e declaramos todo nosso apoio ao professor!”, manifesta

O físico, nascido na Argélia e naturalizado francês, estava radicado no Brasil havia mais de três anos. Em 2009, enquanto trabalhava no conceituado laboratório francês da Organização Europeia para Pesquisa Nuclear (CERN), que abriga um superacelerador de partículas, Adlène Hicheur foi preso pela polícia francesa  condenado à cinco anos de prisão sob acusação de planejar atentados terroristas. Cumpriu trinta meses de sentença. 

Segundo o docente, a acusação se baseou em visitas aos chamados “website subversivos”. "Fui preso pela polícia francesa no fim de 2009 e a única justificativa de minha detenção foram minhas visitas aos chamados websites islâmicos subversivos. Fui privado da minha liberdade por dois anos apenas com base nisso. Nenhum outro elemento foi apresentado contra mim", afirmou ele em carta encaminhada ao Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, em janeiro passado.

Nota de Repúdio à deportação do professor da UFRJ Adlène Hicheur

O ANDES-SN repudia a ação arbitrária e violenta de deportação sumária do professor visitante da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Adlène Hicheur, para a França. Todos os esforços estão sendo feitos para garantir sua liberdade e sua segurança. O Andes-SN, através da Assessoria Jurídica Nacional, da Secretaria Regional do Rio de Janeiro e da Adufrj-Ssind, acompanhou o caso desde o momento que tomou conhecimento da notificação recebida no dia 15 de julho na reitoria da UFRJ.

De maneira profundamente autoritária, o professor foi colocado em um voo para a França ainda na noite do dia 15. O Andes-SN, através de medidas jurídicas e políticas, seguirá empenhando ações para garantir o retorno ao Brasil do professor Adlène Hicheur em segurança.

Não podemos naturalizar esta violência e declaramos todo nosso apoio ao professor!

Diretoria do ANDES-SN

* Com informações do site Opera Mundi 
* Foto: Opera Mundi / Shobhan Saxena


Fonte: ANDES-SN


+9
|
-4
| Denunciar

0 comentários | 4673 visualizações | 13 avaliações

Comentar esta notícia