Imprimir  Voltar  Home 


  Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN


Data: 19/05/2017

Semana de Lutas das Iees/Imes: docentes da Unirg garantem vitória

Dentro da Semana Nacional de Lutas das Instituições de Estaduais e Municipais de Ensino Superior (Iees/Imes), os docentes do Centro Universitário de Gurupi (Unirg) obtiveram uma grande vitória. Foi aprovado, por unanimidade, na última quarta-feira (16), na Câmara Municipal de Gurupi (TO), o projeto lei municipal nº 010, que concede a recomposição salarial das perdas dos servidores da Fundação e Centro Universitário Unirg.

O índice aprovado, de 6,29%, compreende o período de janeiro a dezembro de 20016, tendo como base o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), acumulado no ano passado, garantindo ainda o retroativo a janeiro de 2017, mês da data base dos docentes e servidores administrativos da Unirg.

Segundo o presidente da Fundação Unirg, Sávio Barbalho, o ato reafirma o compromisso assumido com as categorias no ano passado, nas diversas reuniões promovidas com a Associação dos Professores da Unirg (Apug Seção Sindical do ANDES-SN). “Já deveria ter ocorrido em janeiro, quando acontece a data-base do servidor. Porém, nós aguardávamos o transcorrer desse quadrimestre para adequarmos as nossas responsabilidades à Lei de Responsabilidade Fiscal. Foi possível fazer uma equação para que concedesse o direito aos servidores. O índice será incluso na folha de pagamento deste mês de maio”, informou.

O presidente explicou ainda que “os pagamentos referentes aos meses de janeiro a abril serão efetuados a partir do segundo semestre, quando haverá também a recomposição das mensalidades dos alunos, que ocorre em julho. Será efetuado gradativamente, em agosto pagaremos janeiro e assim sequentemente até novembro.”

Para o presidente da Apug SSind., Gilberto Correia, a princípio houve a sinalização de que recomposição seria inviável, mas a seção sindical insistiu no diálogo o presidente da Fundação Unirg e com o prefeito de Gurupi, Laurez Moreira, para pressionar pelo pagamento da recomposição salarial, direito constitucional que não estava sendo levado em conta pela gestão.

“Sempre primamos pelo diálogo, que em primeiro momento parecia impossível, mas com muita determinação e muitas reuniões, algumas até tensas, conseguimos sair vitoriosos, com a aprovação da lei. Agora, vamos cerrar fileiras para novos embates, entre eles: as progressões legais, adicional noturno, pagamento correto da dedicação exclusiva, fim da precarização do professor contratado e a autonomia com desvinculação de contas administrativa financeira”, disse Correia.

Quanto ao parcelamento do pagamento retroativo dos meses de janeiro a abril, previsto para agosto a novembro, o presidente da Apug SSind. informou que na próxima semana, o presidente da Fundação enviará proposta oficial ao sindicato, que por sua vez já convocou Assembleia Extraordinária para o dia 26 de maio, quando o assunto será debatido com a categoria.

* Com edição do ANDES-SN


Fonte: APUG SSIND


0
|
0
| Denunciar

0 comentários | 119 visualizações | 0 avaliações

Comentar esta notícia