Imprimir  Voltar  Home 


  Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN


Data: 13/12/2017

Conselho Nacional de Educação retira gênero e orientação sexual da BNCC

O Conselho Nacional de Educação (CNE) aceitou as sugestões do Ministério da Educação (MEC) e retirou da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) temas relacionados a gênero e a orientação sexual. A nova versão da BNCC, já com as alterações, foi divulgada na terça-feira (12), e servirá de base para os currículos de escolas de todo o país.

Em novembro, o MEC havia solicitado ao CNE a alteração da terceira versão da BNCC, em especial da parte que dizia que as escolas deveriam tratar temas como “corpo, gênero e sexualidade nas tradições religiosas” e definia que, nesse eixo, deveriam “discutir as distintas concepções de gênero e sexualidade segundo diferentes tradições religiosas e filosofias de vida”.

O texto da Base ainda pode sofrer alterações, e deve ser votado pelo CNE na próxima sexta-feira (15). Posteriormente, ele segue para apreciação e homologação do ministro da Educação, Mendonça Filho.

Estudantes são presos em protesto contra Escola Sem Partido

Enquanto o MEC e o CNE cedem ao recrudescimento do conservadorismo e retiram temas importantes dos currículos brasileiros, houve repressão em São Paulo (SP) contra estudantes que protestavam contra o projeto de lei que institui a “Escola Sem Partido” no município. Quatro estudantes foram detidos durante um protesto na Câmara Municipal. O projeto de lei, de autoria dos vereadores Eduardo Tuma (PSDB) e Fernando Holiday (MBL e DEM), estabelece que o professor "não fará propaganda político-partidária em sala de aula nem incitará seus alunos a participar de manifestações, atos públicos e passeatas", entre outros "deveres" semelhantes.

O ANDES-SN é contrário aos projetos relacionados ao “Escola Sem Partido”, por considerá-los censura ao livre debate e ao livre conhecimento. O Sindicato Nacional compõe a Frente Nacional Escola Sem Mordaça, e considera fundamental que temas como gênero, questões étnico-raciais e orientação sexual sejam tratados com seriedade nas instituições de ensino. 

Leia também

Mobilização consegue que Projeto de Lei da Escola sem Partido seja arquivado no Senado 

Com informações de EBC, O Globo e Bem Paraná. Imagem de Frente Nacional Escola Sem Mordaça

 

 


Fonte: ANDES-SN


+1
|
0
| Denunciar

0 comentários | 743 visualizações | 1 avaliações

Comentar esta notícia