Imprimir  Voltar  Home 


  Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN


Data: 07/02/2018

Ingleses vão às ruas em defesa da saúde pública

Milhares de trabalhadores da saúde, ativistas e sindicatos ocuparam o centro de Londres, capital do Reino Unido, no último sábado (3) para protestar contra a degradação das condições do Sistema Público de Saúde (NHS) e a sua privatização.

A marcha foi organizada pela campanha anti-austeridade The People’s Assembly e a Health Campaigns Together. A iniciativa contou ainda com o apoio de sindicatos como o Unite e o Unison e da central sindical Trades Union Congress.

Nas últimas semanas, os hospitais ingleses ficaram sobrecarregados, o que levou a atrasos de até 12 horas na urgência, pessoas doentes foram deixadas nas macas durante horas e milhares de pacientes foram forçados a esperar em ambulâncias antes de receber cuidados urgentes.

Na convocatória do protesto de sábado, a campanha The People’s Assembly sublinhou que a crise em que se encontra mergulhado o setor deixou os trabalhadores da saúde “de joelhos” e os doentes a morrer em salas de espera e corredores hospitalares superlotados. “Não tem que ser assim”, frisaram os organizadores da manifestação, sublinhando que “quando as manchetes informam que há uma crise do ‘terceiro mundo’ no 6º país mais rico do mundo”, é preciso deixar claro que esta é “uma crise política inteiramente fabricada” pelo governo conservador.

“É hora de o governo deixar de culpar os pacientes, enfermeiros, médicos, imigrantes, gripe e idosos pelas suas deficiências. É hora de começar a ouvir o país que está cansado de promessas vazias da boca de políticos covardes. Os Conservadores devem responder aos apelos da população, dos trabalhadores da saúde e dos doentes”, que exigem não só que o serviço nacional de saúde britânico seja financiado adequadamente, mas que regresse à esfera pública, “longe do desperdício e das exigências de lucro por parte de acionistas e banqueiros”, afirmou a organização.

Luta em defesa do SUS

No Brasil, os servidores, organizados no Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e no Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), decidiram por se somar à manifestação em defesa da Saúde Pública e dos hospitais públicos e contra o ministro da saúde, Ricardo Barros, no Rio de Janeiro (RJ), marcada para o dia 2 de março.

Edição de ANDES-SN com imagem de Health Campaigns Together


Fonte: Esquerda.net


+2
|
0
| Denunciar

0 comentários | 342 visualizações | 2 avaliações

Comentar esta notícia