Imprimir  Voltar  Home 


  Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN


Data: 12/04/2018

Vigílias marcam um mês da execução de Marielle Franco e Anderson Gomes

Há quase um mês, no dia 14 de março, a vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) e seu motorista, Anderson Gomes, foram executados no centro do Rio de Janeiro (RJ). Desde então, trabalhadores brasileiros e militantes de movimentos sociais têm se mobilizado para exigir a investigação dos assassinatos e a responsabilização dos culpados.

No sábado (14), haverá vigílias e manifestações em homenagem a Marielle e a Anderson por todo o país, a partir das 6h. A maior manifestação deve acontecer na capital fluminense. De tarde serão realizados também o “Sarau Eu Sou Porque Nós Somos por Marielle” na favela da Maré e a “Oficina Marielle Vive em nossa luta” na Escola de Teatro Popular.  Em alguns lugares, como Porto Alegre (RS) e Brasília (DF), as vigílias ocorrerão na noite de sexta (13).

O ANDES-SN realizará, também, uma homenagem. Ela acontecerá no sábado, durante reunião conjunta dos Setores das Instituições Federais de Ensino (Ifes), das Instituições Estaduais e Municipais de Ensino (Iees/Imes), e dos Grupos de Trabalho de Carreira (GTCarreira), de Política de Formação Sindical (GTPFS) e de Política Educacional (GTPE). 

Marielle

Marielle era mulher, negra, da favela e lésbica. Nasceu e foi criada na Favela da Maré. Com 18 anos, entrou em um cursinho popular do Centro de Estudos e Ações Solidárias da Maré, mas teve que abandonar os estudos por conta da gravidez. Dois anos depois, voltou ao cursinho e passou no vestibular da Pontifícia Universidade Católica (PUC-RJ) para cursar Ciência Sociais, com bolsa integral. Cursou mestrado em administração pública na Universidade Federal Fluminense (UFF). Sua dissertação teve o tema “UPP: a redução da favela a três letras”. Seus últimos anos foram vividos ao lado da arquiteta Monica Tereza Benício, a quem considerava “minha companheira de vida e amor”.

Militante do PSOL há mais de uma década, Marielle trabalhou no gabinete do deputado estadual Marcelo Freixo, atuando na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Milícias e na Comissão de Direitos Humanos, recebendo denúncias de violações de direitos humanos no Rio de Janeiro e acolhendo famílias vítimas da violência, fossem civis ou policiais. A violência foi, também, a razão que a levou a militar. Marielle perdeu uma grande amiga, vítima de bala perdida num tiroteio entre policiais e traficantes na Maré, e resolveu transformar sua dor em ação política.

Em 2016, Marielle se candidatou a vereadora na capital fluminense. Foi a quinta candidata mais votada da cidade, e a segunda mulher mais votada para o legislativo em todo o país, recebendo 46 mil votos. Marielle foi a terceira mulher negra eleita vereadora do Rio de Janeiro em toda a história.

Atos com de movimentos sociais e sindicatos

Em São Paulo (SP), na sexta-feira (13), o Luta Popular fará um ato em Perus na praça do samba com concentração às 16h. Haverá uma marcha, e o protesto será finalizado com o sarau D’quilo, às 19h, na praça em frente à estação da CPTM. Em São José dos Campos (SP), a atividade será na sexta, às 16h, na Praça Afonso Pena. Em Jacareí (SP), será no mesmo dia e horário na Praça Conde Frontin.

No Rio de Janeiro (RJ), a CSP-Conlutas participará do ato “Amanhecer com Marielle”, às 7h, no sábado (14). A ideia é amanhecer colorindo praças com flores e intervenções culturais.  Haverá também a coordenação estadual onde será dedicada uma parte da reunião para lembrar a data. A Central participará ainda de um ato nos arcos da Lapa com concentração,  às 17h, e início do protesto, às 21h.

Em Natal (RN), a Central também participará do “Amanhecer com Marielle”, às 7h. Após essa ação, ocorre a coordenação estadual em que será dedicada parte da reunião para lembrar a data. Em Porto Alegre (RS), no ato será na sexta, às 18h, na Esquina Democrática.

Em Manaus (AM), o movimento Luta Popular fará um ato na sexta, com concentração às 9h, em frente à escola EETI Professora Cinthia Regia Gomes do Livramento, no bairro Nova Vitória, na Torquato Tapajós em frente à Dafra, em Santa Etelvina. Em Belém (PA), o ato será dia 14, às 9h, no Ver-O-Peso. Em São Luís (MA), no dia 13 haverá ato em frente à Câmara de Vereadores, às 18h.

Com informações de CSP-Conlutas.

Leia também

Nota da Diretoria do ANDES-SN sobre o assassinato de Marielle Franco 


Fonte: ANDES-SN


0
|
0
| Denunciar

0 comentários | 364 visualizações | 0 avaliações

Comentar esta notícia