Imprimir  Voltar  Home 


  Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN


Data: 12/06/2018

Encontro debate informatização e automação do INSS

O Sindicato dos Trabalhadores Federais da Saúde, Trabalho e Previdência no Rio Grande do Sul (Sindisprev RS) organizou na cidade de Canela, na serra gaúcha, nos dias 9 e 10 de junho, o Encontro Estadual do INSS. O evento debateu a inclusão digital no INSS, como os sistemas de informatização e automação que estão sendo implantados na autarquia, além das consequências disso para a sociedade e para o trabalho dos servidores do órgão.

O evento contou com a participação de Luis Eduardo Acosta, 1º vice-presidente do ANDES-SN, na mesa que iniciou o encontro e debateu a conjuntura e a reforma da previdência. De acordo com Thiago Oliveira, diretor do Sindisprev RS, a reforma da previdência atende aos interesses do mercado e o processo de informatização e automação do INSS é “a segunda parte” da reforma.

“A informatização e a automação do INSS podem ser positivas para a sociedade e para os servidores. Entretanto, pode gerar acúmulo de funções, perdas de postos de trabalho, etc. Na segunda mesa do encontro debatemos essas mudanças e posteriormente debatemos a carreira dos servidores do INSS. O governo está mudando o sistema de seguridade social e de previdência pública sem que haja participação dos servidores nesse processo. Vislumbramos que no futuro possa haver demissões em massa e Plano de Demissões Voluntárias, com a substituição em médio prazo dos servidores pelos sistemas digitais. É o mesmo que tem acontecido com os bancários”, alerta Thiago.

“Há uma questão muito importante a ser destacada com a transformação digital dos processos de trabalho. É um benefício para a população que está incluída digitalmente, porém os mais pobres, os excluídos digitais, vão ter problemas para acessar os serviços, ou terão que acessar os serviços pagando para outro fazer para os trâmites. Há também um processo de terceirização. A carreira se esvazia, o trabalho presencial é substituído pelo teletrabalho, e pode diminuir fortemente a quantidade de trabalhadores”, comenta Luis Eduardo Acosta.

Com informações e imagem de Sindisprev RS.


Fonte: ANDES-SN


0
|
0
| Denunciar

0 comentários | 208 visualizações | 0 avaliações

Comentar esta notícia