Imprimir  Voltar  Home 


  Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN


Data: 01/11/2018

Fabricantes de armas estão de olho no mercado brasileiro

Duas multinacionais de armamento estão avaliando entrar no mercado brasileiro, por conta da eleição de Jair Bolsonaro à presidência da república. Segundo matéria publicada nesta sexta-feira (26) no jornal Valor Econômico, a emiradense Caracal e a tcheca CZ estavam “otimistas” com as eleições e se preparam para construir fábricas em Goiás.

Segundo Paulo Humberto Barbosa, representante da Caracal no Brasil, a tendência é que a demanda por armas aumente no Brasil com a eleição de Bolsonaro. O governo dos Emirados Árabes Unidos vê com bons olhos a construção da fábrica no Brasil, e o xeque Abdullah Bin Zayed Nahyan já esteve no país para discutir cooperação comercial entre os países nessa área. A Caracal quer vender as armas fabricadas em terras goianas também para países vizinhos.

Já o representante da CZ no Brasil, Hugo de Paula, disse ao Valor que “o cenário é animador”. A DFA, empresa brasileira, também se prepara para iniciar as operações em Anápolis (GO). Seu presidente, Jesus Delgado Jr, afirma que a demanda por armas “ganhará mais força” com a eleição do candidato do PSL.

A empresa gaúcha Taurus, que domina o mercado nacional de armas, também está lucrando. A Taurus viu uma ação sua disparar 400% no mês de outubro e outro ativo subir 200%. Analistas indicam que o crescimento das ações estava baseado nas pesquisas eleitorais, que apontavam vantagem na corrida à presidência para Bolsonaro, que defende a revogação do Estatuto de Desarmamento, autorizando o porte de armas para maiores de 21 anos.

Leia também:

Fabricante de armas de fogo lucra com candidato de ultradireita 

Com informações de Valor Econômico e imagem de EBC.


Fonte: ANDES-SN


+1
|
0
| Denunciar

0 comentários | 176 visualizações | 1 avaliações

Comentar esta notícia