UFSM: centenas de estudantes iniciam semestre sem ter onde morar

Publicado em 19 de Março de 2019 às 13h39

Não é de hoje que a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) enfrenta problemas no que tange à moradia estudantil. O aperto e a superlotação têm se tornado frequentes. Em junho de 2018, a Seção Sindical dos Docentes da UFSM (Sedufsm Seção Sindical do ANDES-SN) noticiou o problema. Na época, a Sedufsm SSind. relatou que o prédio da União Universitária não era suficiente para abrigar todos os estudantes que chegavam à instituição. Este ano, a situação se agravou. O próprio reitor Paulo Burmann afirmou que não há vagas suficientes para atender à demanda por moradia.

Estudantes vivem no Centro de Eventos da UFSM

Em entrevista à Assessoria de Imprensa da Sedufsm SSind., estudantes afirmaram ainda não terem sido atendidos pela Pró-Reitoria de Assistência Estudantil (PRAE). Atualmente, eles ocupam casas no Centro de Eventos da instituição, porém vêm sendo pressionados pela Administração Central a sair do local.

“No dia 8 de março, fizemos uma assembleia na União para tratar o problema da moradia, já que as reuniões com a reitoria não estavam funcionando. Queriam encaminhar os estudantes para o Albergue municipal ou para o alojamento da Base Aérea. Diante dessa situação, ocupamos a União ainda no dia 8”, explicam.

Na última segunda (11), pela manhã, 950 estudantes foram atendidos pela PRAE, porém cerca de 150 ainda permaneciam sem ter onde morar. Foi então que decidiram por ocupar algumas casas no Centro de Eventos. No entanto, explica Rhaianny, a reitoria vem solicitando a desocupação destas casas, sem apresentar outro local para abrigar os estudantes.

De sua parte, o reitor gravou um vídeo em que admite a limitação de vagas na moradia da UFSM, associando tal realidade à restrição de investimentos. “Implementamos mais de 500 vagas de moradia nestes últimos 5 anos. Chegamos num ponto em que não é mais possível ampliar. Não teremos vagas suficientes para toda a demanda existente na moradia estudantil da UFSM. Faço um apelo aos pais desses jovens que estão se dirigindo para a UFSM na expectativa de terem vaga na moradia estudantil... a  dificuldade é grande. Não teremos condições certamente de abrigar a todos, com a segurança e responsabilidade que é característica da UFSM”, disse o gestor.

A declaração contradiz posicionamento apresentado pelo reitor em coletiva de imprensa, no dia 23 de janeiro, sobre a situação orçamentária da UFSM. Na ocasião, Burmann assegurou não haver risco de prejuízo na assistência estudantil e nos Restaurantes Universitários.

Fonte: Sedufsm SSind. Com edição do ANDES-SN

Outras Notícias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
EVENTOS