HISTÓRIA

O Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN) é um sindicato brasileiro, com sede em Brasília (DF) e seções sindicais nos locais de trabalho, que representa professores de ensino superior e ensino básico, técnico e tecnológico no país. O ANDES-SN é filiado à Central Sindical e Popular Conlutas (CSP-Conlutas).

Foi fundado em 19 de fevereiro de 1981 na cidade de Campinas (SP), como Associação Nacional dos Docentes do Ensino Superior (a ANDES). Sete anos depois, em 26 de novembro de 1988, após a promulgação da atual Constituição Federal, passou a ser Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (o ANDES-SN).

Ainda sob a pressão do regime empresarial-militar (1964-1985), o ANDES-SN preocupou-se em não apartar o trabalho acadêmico da realidade social, vinculando, na prática, a luta dos docentes às lutas de outros trabalhadores. Essa postura introduziu no cotidiano docente um pensar articulado da realidade social que, pela sua importância, instituiu espaços destinados à discussão da questão da terra, classe, etnia e gênero, para além de questões ligadas à educação, à ciência e tecnologia, ao sindicalismo e à própria organização dos professores. Atualmente, o ANDES-SN conta com 11 grupos de trabalho que subsidiam a diretoria na discussão desses temas.

Suas propostas para a universidade brasileira foram construídas a partir dos problemas históricos vivenciados pela maioria dos trabalhadores e enfrentados por inúmeros movimentos sociais que reivindicam emprego, transporte, moradia, terra, educação e saúde. Assim, o movimento docente constituiu-se na relação permanente com as experiências de outros trabalhadores que lutam pelo reconhecimento de direitos sociais para todos os brasileiros.

Estrutura

O ANDES-SN rompeu com a estrutura sindical autoritária, implantada no Brasil na década de 30, e se consolidou pela organização de base nos locais de trabalho. É um sindicato nacional com seções sindicais nos locais de trabalho. É uma entidade autônoma em relação a partidos políticos.

Sua estrutura é formada pela diretoria nacional, diretorias regionais e seções sindicais, que possuem autonomia financeira, política, patrimonial e administrativa, com regimento geral e diretoria própria.

Todas as decisões são deliberadas pela base, que elege democraticamente todos os dirigentes. O sindicato é mantido pela contribuição voluntária de seus sindicalizados, sem taxa sindical compulsória.

Representatividade

O ANDES-SN conta com quase 70 mil sindicalizados de instituições de ensino superior e institutos de educação básica, técnica e tecnológica e está representado em todo o território nacional pelas suas 121 seções sindicais.

Compromissos

  •  Lutar pela educação pública de qualidade, pela valorização do trabalho docente e pela autonomia das instituições públicas de ensino superior.
  •  Lutar pela universalização do acesso à educação superior pública e gratuita, com garantia de permanência.
  • -Lutar pelo espaço público para produção de conhecimento.
  • Reforçar a unidade da classe trabalhadora no Brasil, internacionalmente e, em particular, na América Latina.
  • Lutar contra toda forma de cerceamento à liberdade de organização sindical e de expressão.
  • Lutar contra as reformas neoliberais que retiram direitos dos trabalhadores, especialmente a reforma universitária privatizante.
  •  Combater todas as formas de mercantilização da educação.

O que o ANDES-SN defende

  • Manutenção e ampliação do ensino público gratuito e de qualidade socialmente referenciada.
  • Autonomia e funcionamento democrático das universidades públicas e de direito privado, com base em colegiados e cargos de direção eletivos.
  • Estabelecimento de um padrão unitário de qualidade para o ensino superior, estimulando a pesquisa e a criação intelectual nas universidades.
  • Carreira única para os docentes das instituições de ensino superior.
  • Indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.
  •  Dotação de recursos públicos orçamentários suficientes para o ensino e a pesquisa nas universidades públicas.
  • Criação de condições de adequação da universidade à realidade brasileira.
  •  Garantia do direito à liberdade de pensamento nas contratações e nomeações para a universidade e no exercício das funções e atividades acadêmicas.
  • Garantia do direito à liberdade de organização sindical em todas as instituições de ensino superior.

Realizações

Nos últimos 35 anos, o ANDES-SN vem atuando não somente na defesa permanente da universidade pública e contra a precarização do trabalho docente. Teve participação ativa nas lutas pela redemocratização do país no início da década de 80 (Diretas Já!), anistia aos presos e exilados políticos e pela Constituinte 1986/88.

Participou, com outras entidades, da criação do Fórum Nacional em Defesa da Escola Pública, que desenvolveu proposições para a Constituinte de 1986-88, apresentou propostas para a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) e, posteriormente, no final da década de 90, elaborou o Plano Nacional de Educação da Sociedade Brasileira (PNE), que reivindicava aumento do orçamento da educação pública. Ainda na década de 90, o ANDES-SN teve papel de destaque na luta contra as privatizações neoliberais, tanto na educação quanto em outras áreas.

Na década de 2000, o ANDES-SN empreendeu diversas lutas. Com a ascenção de Luiz Inácio Lula da Silva ao poder em 2003 teve início o processo de cooptação de sindicatos e movimentos sociais. Coerente com suas posições, o ANDES-SN rompe com a Central Única dos Trabalhadores (CUT) em 2005, após o processo de aprovação da Reforma da Previdência, que retirava mais direitos dos trabalhadores.

Essa posição se consolidou com a filiação à Conlutas, deliberada pelo 26º Congresso do ANDES-SN, realizado em Campina Grande (PB) em março de 2007. Em 2011, na cidade de Uberlândia (MG), em seu 30º Congresso, o Sindicato Nacional referendou sua filiação à nova Central Sindical e Popular Conlutas (CSP-Conlutas).

Em seguida o ANDES-SN empreende campanha contra o projeto de Reforma Universitária do governo federal e suas implicações, tais quais o aumento das parcerias público-privadas dentro das universidades por meio das fundações ditas de apoio. Em 2014 o ANDES-SN, junto a outras entidades sindicais e ao movimento estudantil, organiza o I Encontro Nacional de Educação (ENE), no Rio de Janeiro (RJ), reafirmando a posição do Sindicato Nacional em defesa de uma educação pública, gratuita, de qualidade e socialmente referenciada.

 

PRESIDENTES
 


Antonio Gonçalves Filho (2018-2020)
Eblin Joseph Farage (2016-2018)
Paulo Marcos Borges Rizzo (2014-2016)
Marinalva Silva Oliveira (2012-2014)
Marina Barbosa Pinto (2010-2012)
Ciro Teixeira Correia (2008-2010)
Paulo Marcos Borges Rizzo (2006-2008)
Marina Barbosa Pinto (2004-2006)
Luiz Carlos Gonçalves Lucas (2002-2004)
Roberto Leher (2000-2002)
Renato De Oliveira (1998-2000)
Maria Cristina De Morais (1996-1998)
Luiz Henrique Schuch (1994-1996)
Márcio Antônio De Oliveira (1992-1994)
Carlos Eduardo Malhado Baldijão (1990-1992)
Sadi Dal Rosso (1988-1990)
Newton Lima Neto (1986-1988)
Maria José Ribeiro (1984-1986)
Luiz Pinguelli Rosa (1982-1984)
Osvaldo De Oliveira Maciel (1981-1982)




Congressos de ANDES-SN
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
EVENTOS