Seminário de Direito à Cidade debate precarização das relações de trabalho

Atualizado em 12 de Dezembro de 2019 às 18h37

O ANDES-SN promoveu, de 6 a 8 de dezembro, o Seminário Nacional de Direito à Cidade, realizado no Campus da Universidade Federal Fluminense em Rio das Ostras, litoral norte do Rio de Janeiro. O evento, sediado pela Associação dos Docentes da UFF Seção Sindical (Aduff-SSind), abordou principalmente as questões ligadas à precarização das relações de trabalho, na atual conjuntura de ataques e conflitos.

O Seminário, deliberado no 38º congresso do ANDES-SN, foi uma iniciativa conjunta dos grupos de trabalho de Política Agrária, Urbana e Ambiental (GTPAUA); de Seguridade Social e Assuntos de Aposentadoria (GTSSA) e de Políticas de Classe para as Questões Étnico-raciais, de Gênero e Diversidade Sexual (GTPCEGDS).

Durante os três dias, foram realizadas cinco mesas de debates que discutiram a situação da classe trabalhadora na cidade contemporânea, favelas e periferias; o acesso dos estudantes de origem popular à universidade pública; o direito à cidade: mobilidade urbana, mulheres e questão racial; o domínio da cidade por grupos econômicos e armados, além dos ataques e contrarreformas promovidas pelos governos federal e estaduais.

Para a 2ª vice-presidente da Regional Norte I do ANDES-SN, Madalena Vange, os palestrantes puderam expor um pouco de suas experiências e como elas influenciam na transformação do meio. "Nesses dias de evento, durante as mesas redondas, pudemos dialogar tanto das vivencias reais, quanto as teóricas, indicando a necessidade de um aprofundamento da discussão acerca da questão urbana", explicou a diretora do Sindicato Nacional, que também integra a coordenação do GTPAUA.

Madalena afirmou que o Brasil vem enfrentando, nos últimos anos, uma profunda desregulação das relações trabalhistas, gerando insegurança e precariedade. "Questões como as reformas trabalhistas, a nova proposta da carteira verde amarela, entre outros aspectos, têm precarizado as condições de trabalho da classe e, junto com o desemprego estrutural, têm afetado a vida da classe trabalhadora. O avanço da 'uberização' é um fenômeno crescente e reconfigura a chamada informalidade e isso sem falar na falácia do empreendedorismo. Para enfrentar os imensos desafios do contexto atual é necessária a reorganização e a mobilização das trabalhadoras e trabalhadores do país. O ANDES-SN tem investido muito nessa reorganização, a exemplo da construção do Fórum Sindical, Popular e de Juventudes de Luta Pelos Direitos e Pelas Liberdades Democráticas", destaca Madalena.

Além de abordar os ataques promovidos pelo atual Executivo federal, o seminário foi uma oportunidade de refletir sobre as desigualdades urbanas, que incluem a luta por serviços básicos de qualidade, como moradia, transporte, mobilidade urbana, entre outros.

 

   

 

 

 

 

Compartilhe...

Outras Notícias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
EVENTOS