Docentes da Unifap e da Guiana arrecadam doações para estudantes em vulnerabilidade social

Atualizado em 01 de Julho de 2020 às 10h24
22 cestas de alimentos serão entregues

 

Dando continuidade às ações conjuntas, docentes da Universidade Federal do Amapá (Unifap), campus Oiapoque, e da Université de Guyane realizaram uma campanha de arrecadação para ajudar estudantes oiapoquenses em vulnerabilidade social. Foram montadas 22 cestas de alimentos, que serão entregues nos próximos dias.

"Essa campanha é mais um fruto do esforço conjunto de sindicatos dos dois lados da fronteira", afirma Sidney da Silva Lobato, 2º Secretário da Regional Norte 2 do ANDES-SN.

Ele conta que a Universidade da Guiana fez a doação dos mantimentos e materiais de limpeza para doação específica aos estudantes do Campus Oiapoque da Unifap. A entrega foi acompanhada por dirigentes do Sindicato de Professores da Guiana. Os docentes da Unifap organizaram a recepção sobre a ponte binacional e confeccionaram as cestas, completando ainda com itens faltantes. 

“As vinte e duas cestas serão doadas a estudantes cujas famílias têm renda per capita de até 500 reais ou cujas famílias não têm renda fixa e foram atingidas pelo isolamento social, ficando sem renda ou que tiveram sua renda substancialmente diminuída. Esse foi o critério para selecionar os estudantes”, explica Lobato. 

Segundo o diretor da Regional Norte 2 do ANDES-SN, a Sindufap SSind. e a secretaria regional do Sindicato Nacional seguem em diálogo constante com os sindicatos guianenses. No entanto, ele avalia que nesse momento há uma tendência de fechamento da fronteira, devido ao agravamento da pandemia também na Guiana.

 Internacionalismo na luta
A arrecadação é uma das tantas ações que vêm sendo realizadas pelas entidades. A parceria, iniciada entre os sindicatos de docentes da Unifap (Sindufap SSind do ANDES-SN), a FSU Guyane e a Sud Education Guyene, vem sendo ampliada com a participação de entidades de outras categorias em diversas atividades de debate e também pressão junto ao poder público. Nesse momento intensificação da pandemia, as ações têm se voltado ao combate à Covid 19 e suas consequências para a população, em especial na região de fronteira.


Em uma carta dirigida aos poderes públicos em 18 de maio, o Sindufap SSind., a FSU Guyane e a Sud Education Guyane (entidades sindicais da educação) ressaltaram que a Covid 19 não tem fronteiras ou nacionalidade e a saúde não se mantém através da construção de muros. “Somos todos interdependentes, até a humanidade do planalto amazônico da Guiana, e nossa luta contra o COVID-19 é uma luta comum”, afirmaram no documento.

Saiba mais: 
Sindufap SSind. e sindicatos da Guiana se articulam para garantir auxílio ao Oiapoque (AP) 

Compartilhe...

Outras Notícias
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
EVENTOS