NOTA DA DIRETORIA DO ANDES-SN DE REPÚDIO À REPRESSÃO DA MANIFESTAÇÃO DE PROFESSORE(A)S DO RIO GRANDE DO SUL

NOTA DA DIRETORIA DO ANDES-SN DE REPÚDIO À REPRESSÃO DA MANIFESTAÇÃO DE PROFESSORE(A)S DO RIO GRANDE DO SUL

Publicado em 28 de Novembro de 2019 às 17h13

          No último dia 26 de novembro, mais de 20 mil professore(a)s do Rio Grande do Sul, em greve desde o dia 18/11, se reuniram em assembleia geral convocada pelo Comando de Greve do CPERS/Sindicato. A repressão ocorreu contra a tentativa do(a)s professores de protocolar um ofício solicitando a retirada do projeto de reestruturação administrativa do Estado do Rio Grande do Sul, que foi apresentado pelo governo de Eduardo Leite (PSDB).

         Em nota anterior (ver Circular nº 509/19, de 25 de novembro), o ANDES-SN manifestou sua solidariedade à legítima greve realizada pela categoria contra um pacote que retira direitos e congela salários de professore(a)s e demais servidore(a)s estaduais.

          Mais uma vez, a truculência falou mais alto: o mesmo governo que ordenou o corte de ponto do(a)s grevistas, apelou, dessa vez, para a repressão violenta: ao invés de receber um grupo de 30 professore(a)s que pretendiam, pacificamente, protocolar um ofício apresentando a pauta do movimento paredista, a tropa de choque da Brigada Militar o(a)s reprimiu violentamente, deixando oito pessoas feridas, inclusive a presidente do CPERS/Sindicato.

         A violência repressiva tem sido, cada vez mais, a resposta de governos no curso da implantação da agenda de austeridade, que ataca servidore(a)s, desmonta os serviços públicos e retira direitos, historicamente conquistados pela classe trabalhadora. Esse ato de repressão pelo governo do estado deve ser repudiado por todas e todos que lutam por direitos sociais e contra a violação de liberdades democráticas.

         Reafirmamos nosso apoio à greve do(a)s professore(a)s e funcionário(a)s da educação, assim como de outro(a)s servidore(a)s público(a)s do Rio Grande do Sul. Repudiamos a arbitrariedade e a violência estatal utilizadas para combater uma greve legítima.

Contra o pacote de reformas de Eduardo Leite (RS)!

Lutar não é crime!

Em defesa da educação pública e gratuita!

 

Brasília (DF), 28 de novembro de 2019

 

Diretoria Nacional do ANDES-SN

 

Outras Notas Politicas
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
EVENTOS