NOTA DA DIRETORIA DO ANDES-SN DE REÚDIO À INVASÃO OCORRIDA CONTRA A EMBAIXADA DA VENEZUELA EM BRASÍLIA (DF).

NOTA DA DIRETORIA DO ANDES-SN DE REÚDIO À INVASÃO OCORRIDA CONTRA A EMBAIXADA DA VENEZUELA EM BRASÍLIA (DF).

Publicado em 19 de Novembro de 2019 às 18h41

             O ANDES-Sindicato Nacional manifesta o seu repúdio à invasão violenta da sede da Embaixada da Venezuela, em Brasília (DF), realizada no último dia 13 de novembro por defensores do opositor ao governo de Nicolás Maduro, Juan Guaidó, em uma nítida violação aos preceitos sobre Relações Diplomáticas entre países estipulados na Convenção de Viena, que estabelece a obrigação de proteger as sedes diplomáticas em quaisquer circunstâncias.

              Coincidindo com o primeiro dia da reunião da cúpula dos países que compõem o BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), em Brasília (DF), os defensores do opositor Juan Guaidó adentraram forçosamente e de madrugada a sede da Embaixada da Venezuela em uma demonstração explícita de violação das Relações Diplomáticas, ao não reconhecerem o governo de Nicolás Maduro, que mantém, na referida embaixada, o seu legítimo representante, o encarregado de negócios Freddy Meregote, conforme fora destacado em nota pelo ministro das Relações Exteriores da Venezuela Jorge Arreaza.

              Legitimar as tentativas de golpe contra o governo Maduro e passar por cima da soberania do povo venezuelano, demonstrando a defesa da política do imperialismo estadunidense para os países da América Latina; configuraram-se como as verdadeiras intenções do grupo que realizou a invasão. Essa ação coordenada alinha-se com a política do governo brasileiro de reconhecer o opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela, posição essa isolada entre os países membros do BRICS.

           Dessa forma, saudamos a iniciativa de Movimentos Sociais, entidades sindicais e estudantis, parlamentares progressistas e partidos políticos de esquerda que, ao longo de todo o dia 13/11, estiveram em manifestação na Embaixada e, por essa ação política, ajudaram a impedir a concretização da invasão, resultando em saída dos invasores ao final do mesmo dia.

            A conjuntura na América Latina está atravessada pelo explícito Golpe de Estado na Bolívia, que forçou por métodos criminosos a renúncia de Evo Morales, eleito presidente do país. Em uma conjuntura como essa, ações como a que ocorreu no dia 13 de novembro não podem ser toleradas pelos Movimentos Sociais, entidades sindicais etc., condição para impedir o desenvolvimento de novas iniciativas de violência política por parte de grupos de extrema-direita, o que pode crescer no subcontinente. Portanto, dispensamos toda a nossa solidariedade ao corpo diplomático venezuelano da Embaixada e à unidade que repudiou a invasão.

 

Pela investigação da invasão da Embaixada, seus operadores e mandantes!

Pela soberania do povo venezuelano.

Pela liberdade dos povos da América Latina e do Caribe das políticas do imperialismo.

 

Brasília (DF), 19 de novembro de 2019

 

 

Diretoria Nacional do ANDES-SN

Outras Notas Politicas
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
EVENTOS